Recorrer à Casa do Povo para aprender Português

Dannelly Fernandez é colombiana. Anabel Bettencourt é venezuelana. A primeira é técnica na área ambiental. A colega é médica dentista. Uma reside na Calheta. A outra na Ponta do Pargo. Aparentemente com diferenças, mas cada qual com um percurso semelhante de vida ligada à Venezuela. Decidiram vir para a Madeira deixando tudo para trás. Com dificuldades na expressão e na escrita recorreram à Casa do Povo da Calheta para poderem apreender português. A barreira da língua tem sido, para já, um óbice à compreensão e à comunicação.
São dois exemplos entre muitos que a colectividade tem apoiado e a prova que o papel das agremiações estão a ter para uma melhor adaptação de migrantes. “Vim há cerca de cinco meses. Trabalhava num hospital, havia muito trabalho lá, mas não havia materiais nem era compensador”, dizia à entrada para uma formação de 48 horas em língua portuguesa. “Agora que cá estou quero fazer as equivalências porque estudei muito para tirar o curso para não valer de nada”, resumia o que pretende efectuar, salientando que na bagagem vieram os documentos e os certificados mas, primeiramente, “é preciso dominar a língua portuguesa”. A seu lado Dannely. Casada como luso-venezuelano chegou há pouco menos de três meses. Pretende ficar por cá, confirma sem hesitações, embora reconheça que o choque da tranquilidade contrasta com o frenesim de Medellín. “O maior não foi esse. O  problema tem sido a língua. Se falam muito rápido não entendo”, expressa num acentuado sotaque castelhano. Lá dentro, na sala pintada a azul e amarelo estão mais 10 pessoas. Todas vindas da terra de Símon Bolívar. Nenhum trabalha o que agudiza ainda mais a condição, mas todos dizem ter sido bem recebidos. Muito mais Maria Ferreira. Com oito meses de gravidez arrumou a mala arriscando fazer a viagem transatlântica. Mas a vida na Venezuela é aquela que todos conhecemos. Aliás, pior, vinca. “Não se pode trazer certificados reconhecidos pelas respectivas entidades porque suspeitam que será uma viagem sem regresso. Perguntam-nos: se vais de férias para quê precisas de documentos e certificações?”, complementa durante a apresentação no primeiro dia de aulas. Encostada a si outra conterrânea. Patrícia corrobora na versão deixando mais uma achega: “O que sucede é que muitos estão a marcar passagem de ida e volta para não deixarem suspeitas de que não voltamos, assim que a minha viagem foi paga com regresso, mas eu não volto mais”, assegura desde o fundo da sala. Lá na frente, no quadro, está projectado qual a formação que vão ter e uma frase escrita pela formadora: “Se eu ganhasse o euromilhões o que é que eu espero desta formação?”. Uma pergunta para, quiçá, para um jackpot. Casas do Povo com novas responsabilidades O presidente da Casa do Povo fez questão de dar as boas-vindas aos participantes. O dirigente quis saber se todos estavam integrados e com a situação regularizada. Ao nosso jornal disse que a instituição tem oferecido respostas diferentes não estando circunscritas a cursos tradicionais sendo que “esta é uma realidade nova que se coloca ao concelho e temos procurado, dentro das nossas possibilidades, dando resposta concreta às necessidades das pessoas”. “A esmagadora está desempregado ou tem trabalho precário, mas temos feito o nosso papel encaminhando-os através do polo de emprego procurando que percebam que têm uma porta aberta”, complementou. Victor Hugo | Diário de Notícias | 03/03/2020 Edição papel

PARTILHAR PUBLICAÇÃO

Share on facebook
Share on print
Share on email

Em Destaque

Fevereiro 16, 2020

Dia da Amizade

Hoje foi dia de irmos até ao Estreito da Calheta, comemorar o Dia da Amizade....
Janeiro 5, 2020

Atuação do Grupo de Formação Musical na Santa Casa da Misericórdia da Calheta

Hoje o nosso grupo da Escola de formação Musical cantou os reis aos utentes da...
Janeiro 4, 2020

Grupo Musical Comemora o Dia dos Reis

A tradição de cantar os Reis ao som do Grupo de Formação Musical da Casa...
Janeiro 2, 2020

CONCERTO DIA DOS REIS

A Casa do Povo da Calheta convida toda a população a estar presente num pequeno...